#DTRtravels: UMA SOLO TRAVEL AO CANADÁ

08:29 Rafaela Marreiros 2 Comments


Olá pessoal,

Hoje venho compartilhar um pouco da minha experiência em ter viajado sozinho para o Canadá. Nesse sentido quero compartilhar minhas experiências que tive e também falar de todo o processo da viagem.


By Andrew Louis

Inicialmente, eu tenho que falar que o desejo de viajar eu acredito que herdei de minha vó e do meu pai que sempre viajaram por muitos lugares. Principalmente a minha vó que viajou por diferentes lugares e teve grandes experiências com viagens. Minha vó só parou de viajar quando alguns problemas de saúde chegaram e impediram-na de sair pelo mundo.
No ano de 2014, foi um ano bem complicado em minha vida com um mix de coisas boas e também de coisa ruins que em certos momentos foram até superiores. 
 Então, tomei a decisão de buscar um tempo somente pra mim em um lugar que ninguém me conhecia e assim eu poderia pensar um pouco mais sobre a minha vida e as coisas que estavam acontecendo ao meu redor. Dessa forma pensei em viajar sozinho para o Canadá. Quando falei para meus amigos que iria fazer tal viagem todos falaram que eu estava ficando louco, pois viajar sozinho é uma loucura e eu não me divertiria dessa forma sem ninguém que eu conhecesse e que seria perigoso e etc. São todos os mitos e medos que normalmente todos temos, mas, confesso que pensei em todas essas possibilidades e fiquei até um pouco balançado a não ir, mas sempre fiz viagens por vários lugares do Brasil e do mundo cercado de amigos a minha volta e pensei que essa seria uma boa oportunidade de desfrutar somente da minha companhia e pensar um pouco mais em mim e como poderia melhorar como pessoa.


Eu penso que a vida é muito curta e o mundo muito grande para ficarmos sempre ancorados em um mesmo ponto, em um mesmo cais. Penso que sou como um barco que precisa sempre estar em movimento em busca de novos lugares e aventuras e que isso me alimenta. Penso que um barco que está sempre ancorado em um cais não é feliz se não pode se aventurar por esse oceano tão grande e belo.


Em junho de 2014 eu pensei em que lugar eu poderia fazer tal viagem. E no meu coração veio imediatamente o Canadá e a cidade de Toronto. Eu, particularmente, não sei explicar o que me atraiu de imediato, mas foi algo que a minha intuição trouxe e foi muito forte, então resolvi que o Canadá seria o meu lugar. Minha mãe ficou um pouco receosa com o lugar e a ideia de viajar sozinho, mas meu pai e minha vó sempre me deram apoio e incentivo. Depois do lugar escolhido fui à procura de passagens e toda a documentação que seria necessária para a viagem e de certa forma o visto canadense não é muito complicado, entretanto a documentação que é exigida é tão grande que você fica pensando o porquê de tanta documentação, só faltou perguntarem se sou virgem e meu signo... kkkk.
 Após toda documentação e visto aprovado você deve ficar cercado de vários cuidados, pois como estava viajando só e precisava de um bom plano de saúde internacional que você compra nas agências de turismo ou em algumas casas de câmbio. O seguro saúde é muito importante, pois caso ocorra qualquer problema de saúde você tem todo o amparo necessário para qualquer problema. Outra coisa muito importante é conhecer mais sobre a cultura do país e as diferentes formas de abordar as pessoas, comidas típicas, lugares pra se divertir e a temperatura da cidade que você deseja visitar.



 Eu fui em Dezembro para ser mais preciso no dia 31, ou seja, curti o Réveillon cruzando o oceano. Neste período o Canadá está em pleno inverno e as temperaturas são muito baixas. Eu moro em Teresina onde as temperaturas são normalmente entre 38 a 41 graus. Em Toronto as temperaturas estavam entre 38 a 40 graus negativos, ou seja, totalmente fora da minha friend zone. Então levei apenas um casaco que seria apropriado para tal clima e outras peças comprei lá, pois os preços eram mais baratos e as roupas mais apropriadas para o inverno de lá.


Fiquei em uma casa de família, onde morava apenas uma senhora que seria a minha Canadian mother e assim a minha viagem foi toda planejada. Eu estava muito ansioso e ao mesmo tempo um pouco nervoso ao que o Canada poderia me oferecer, mas o que tenho a dizer é que foi uma das melhores experiências que eu já tive. O Canadá é um país multicultural e formado por diferentes povos de diferentes nacionalidades e isso me encantou. O clima inicialmente foi um problema, mas logo se tornou algo muito agradável. Fiz amigos de diferentes partes do mundo do Japão à Arábia Saudita e pude perceber que nesta diferença de culturas e povos havia essa nossa amizade que nos tornava mais unidos e assim a diferença de raça ou cor ou qualquer outra era eliminada. Pude fazer grandes viagens para lugares lindos como as Cataratas do Niágara, New York e Montreal que é lindo e outros lugares cheios de histórias pra contar. 


Acredito que não foi simplesmente uma viagem para diversão e aprimoramento de inglês. Foi uma viagem de autoconhecimento e perceber que viajar sozinho não é nenhum bicho de sete cabeças e muito menos assustador, pode ser uma viagem para um crescimento pessoal imenso e dessa forma aprender conviver com as diferenças de forma mais humana e respeitosa. Como falei anteriormente, o mundo é muito grande e diverso para ficarmos presos aos nossos portos seguros. Eu acredito que devemos nos dispor a enfrentar o inesperado e tentar dessa forma buscar nosso crescimento pessoal e espiritual.




2 comentários:

  1. -muito bom mesmo, eu as vezes tenho receios, mais nesse post aprendi que só preciso ter minha companhia e talvez possa ser até mais legal, parabéns Rafaela e Andrew 👏

    ResponderExcluir
  2. -muito bom mesmo, eu as vezes tenho receios, mais nesse post aprendi que só preciso ter minha companhia e talvez possa ser até mais legal, parabéns Rafaela e Andrew 👏

    ResponderExcluir